6 dicas de presentes de Natal menos consumistas e com mais significado

Publiquei recentemente um post no LinkedIn falando sobre opções de presentes para amigo secreto/oculto com significado para escapar do consumismo desenfreado do Natal.

Sei que não é fácil, mas dá para fazer. Se você vai mesmo comprar lembranças, principalmente pensando nas crianças ou porque abraça mesmo essa época do ano e gosta de presentear, seguem seis sugestões com valor, que nos incentivam a tornar esse mundo um lugar melhor.

Lembre-se também que preço nada tem a ver com valor. Não tem que comprar algo caro para ficar bonito na fita ou para mostrar o quanto se gosta de alguém. Não são R$ 100, R$ 200, R$ 500 que vão fazer você tocar o coração das pessoas.

Precisamos consumir de maneira consciente, priorizando empresas com propósito e valores alinhados à construção de um mundo mais humano, amoroso e sustentável. Negócios que valorizam a qualidade e ética dos seus fornecedores, que se preocupam com o descarte de resíduos gerados e que, em alguns casos, apoiam projetos ambientais, entre outros.

Nosso planetinha azul vem emitindo sinais de maneira incansável de que nosso estilo de vida o está destruindo. Queremos sempre mais. Desejamos mais. Trabalhamos mais para comprar algo que nos fará gastar mais tempo, nosso bem mais precioso, para que façamos mais dinheiro e possamos adquirir ainda mais. Uma bola de neve. Insatisfação contínua.

“É preciso dissociar a geração de valor e a noção de progresso do uso de materiais finitos, preservar e aprimorar o capital natural, otimizar o rendimento dos recursos e fazer o sistema funcionar melhor e no longo prazo”. Luisa Santiago, da Fundação Ellen MacArthur

Revoada

Por que colocar mais produtos no mundo, se ele já está cheio de excessos? Foi com a vontade de criar produtos sustentáveis que uma dupla de gaúchas se fez essa pergunta. E a resposta foi: vamos trabalhar com os excessos.

A Revoada usa câmara de pneus (resíduo que leva mais de 500 anos para se decompor) e tecido de guarda-chuvas (comprado de catadores de material reciclável). As câmaras vêm direto dos borracheiros e também de fabricantes parceiros (o que não passa no controle de qualidade e seria descartado).

Os materiais são higienizados em uma lavanderia industrial com captação de água da chuva e a produção é feita em pequenos ateliês de costura.

A marca, que surgiu em 2013, produz mochila (eu comprei e ela é maravilhosa!), bolsa de viagem, bolsa de mão e jaqueta reversível bacanuda (feita de tecido de guarda-chuva).

A Revoada trabalha somente via e-commerce e através de lotes que são disponibilizados por determinado período. Black Friday? Não rola, bebê. Controle forte da produção e atenção aos clientes. Qual a causa que apoiam? Evitam o descarte de câmara de pneu: um problemaço para a natureza. Já é lindo, né não?

Fica ligado, porque o último lote do ano fecha no dia 18/12.

Mancha Orgânica

Quer deixar os pequenos soltarem a imaginação, lambuzarem a cara e o corpo de tinta sem medo de produtos tóxicos e alergias? A Mancha Orgânica produz tintas 100% livres de metais pesados, não testa em animais e utiliza como matéria-prima pigmentos vegetais, como a urucum, o açafrão, açaí, cacau e erva-mate.

O slogan é: Mantenha ao alcance das crianças!

Segundo a empresa, criada em 2017, “as tintas têm como objetivo ser uma ferramenta de educação e estimular os sentidos e a coordenação motora das crianças. Além de promover o brincar livre de restrições e ajudar na disseminação de conceitos de arte, preservação da natureza e alimentação saudável”.

Idealizada por três jovens designers cariocas, a marca lançou uma campanha de financiamento coletivo para fazer testes em novos pigmentos e poder ampliar sua linha de produção orgânica. O objetivo de arrecadar R$ 50 mil foi ultrapassado.

Segundo um dos sócios fundadores Amon Costa, a gente percebeu que não existia uma tinta que fosse coerente com nossos princípios, sustentabilidade, atóxica, à base de água e que pudesse ser descartada sem causar nenhum tipo de problema ao meio ambiente.

A empresa é parceira da iniciativa Araucária+, contribuindo assim para a conservação da Floresta com Araucárias, valorizando produtores locais com padrão sustentável, a biodiversidade e colaborando também por meio da economia circular, já que, por exemplo a tinta feita de erva-mate é fabricada a partir do resíduo da moagem do mate.

Dobra

Meu primeiro contato com a Dobra foi pelo messenger do Facebook e quem me respondeu foi um simpático cachorro chamado Batman. A empresa afirma não ter hierarquia nem cargos, mas pelo o que eu entendi, é ele quem manda na p… toda! Todos ganham igual e participam dos lucros no final de cada mês. Assim é a empresa: “irreverente, do bem e com comunicação sem frescurinhas.”

A Dobra faz descoladas e divertidas carteiras, porta-cartão, porta-passaporte, camiseta com bolsos trocáveis e tênis vegano e reciclável “de papel”. A produção é 100% local, artesanal e com valorização da mão de obra.

Criada em 2013, tem cultura open source, baseada na transparência, e disponibiliza os moldes dos produtos de graça na web. A produção é sob demanda – estoque zero – e com embalagens reutilizáveis.

Você você comprar um vale-presente “para não haver indecisão ou decepção na hora de escolher produto ou estampa. como vc sabe, são muuuuitas opções.”

E qual a causa? O time da Dobra passou um dia numa escola estadual em Montenegro/RS durante o projeto Mãos à dobra em que os alunos desenharam estampas para carteiras, que estão à venda no site e todo o lucro vai ser usado para a reforma do pátio da escola.

E também tem o projeto Dobra +1 em que é guardado R$ 1 de cada produto vendido para um “fundo” de ações de impacto social que são realizadas em parceria com a galera da Smile Flame (vale demais conhecer essa empresa que tem o propósito de causar impacto positivo por meio de eventos divertidos e emocionantes).

Vale ler o manual de cultura e os artigos informais e divertidos no blog. Você conhece uma marca cool como essa?

Mumo

A marca paulistana Mumo Moda oferece roupas mais sustentáveis para minimizar os impactos dessa indústria, que desperdiça um caminhão de tecidos por segundo, segundo relatório da Fundação Ellen MacArthur. A empresa usa como matéria-prima algodão orgânico, malha com 50% garrafas pet recicladas, viscose, que é um tecido biodegradável, linho entre outros.

Criada em 2017, se baseia no tripé: matéria-prima e operação sustentáveis e mão de obra justa. A empresa afirma que cria oportunidade de trabalho para mais de 30 profissionais, sempre remunerados de forma justa (“pagam 2X mais que a média da indústria da moda”).

Eles criam as próprias estampas e mais de 80% da coleção é biodegradável. Trabalham com papel reciclado, das tags das peças à nota fiscal dos pedidos, fazem entrega de bicicleta em SP e reaproveitam os sacos plásticos dos produtos que foram vendidos para os novos que vem da produção.

A Mumo apoia a Associação Mata Ciliar (AMC), entidade sem fins lucrativos que promove ações para conservação da biodiversidade. A cada peça de roupa vendida R$ 5 são doados à Associação. Com esse valor, é possível preparar nove refeições para aves silvestres em reabilitação. São gaviões, falcões e corujas vítimas de tráfico ou feridas por humanos.

Muitas dessas aves são associadas a crendices populares e de hábitos noturnos tornam-se presas fáceis para pessoas mal intencionadas. Elas são apedrejadas ou feridas com armas de fogo. Há um ano, também fizeram uma parceria em que plantaram mil mudas de árvores.

Também fizeram uma parceria em que plantaram mil mudas de árvores. Localizada em Joanópolis/SP, há uma placa com o nome de cada cliente que comprou da marca no último ano.

Copo Menos1lixo

Eu acho esse o presente mais incrível e útil que você poderia dar neste Natal. Ainda mais para quem, como eu, mora no Rio de Janeiro, onde tem feito um calor dos infernos do capeta, o que me faz passar o dia bebendo água.

Sou muito fã da Fê Cortez, que, em 1º de Janeiro de 2015, lançou o desafio pessoal de produzir menos lixo e “provar que atitudes individuais somadas constroem um mundo mais sustentável”. Ela baniu os copos descartáveis da vida dela e, em um ano, foram 1.618 copos que deixaram de ir a aterros sanitários e oceanos.

Atualmente o Menos1lixo é um movimento sobre consumo consciente com conteúdo digital, webséries, parcerias e copos personalizados para empresas que buscam uma política consciente dos seus impactos socioambientais.

“O nosso propósito é causar e possibilitar a mudança de comportamento, fortalecendo assim consumidores empoderados e conscientes de que cada um de nós pode e deve agir por um mundo mais limpo, próspero e sustentável”.

Com design e produção 100% brasileiros, o Copo retrátil é livre de BPA, ftalatos e metais pesados. Ao presenteá-lo, você vai fazer alguém economizar até 150 copos por mês, que seriam usados uma única vez e que levam 450 anos para se decompor. Aproveita e compra um para você também. O meu está sempre na bolsa.

Insecta Shoes

A marca super descolada e colorida fabrica sapatos e acessórios, como mochilas e ecobags, feitos com peças de roupas usadas, algodão reciclado, jeans de uniforme, borracha, garrafas de plástico recicladas e tintas à base d´água.

A empresa faz parcerias e apoia causas muito bacanas como o uso de tecidos desenvolvidos pelo projeto DATERRA no nordeste, parte do valor da venda de alguns produtos é revertida para a AMPA (Associação dos Amigos do peixe-boi) e o projeto Alerta Vermelho, de proteção do boto e outras espécies aquáticas.

Segundo balanço da marca, no último ano reciclaram 6.640,16 garrafas plásticas, 391,69 m² de roupas e tecidos e 2.120,70 kg de borracha.

Cada vez mais as pessoas buscam marcas diferenciadas. Muitas delas comandadas por uma galera jovem, que não quer só trabalhar para ganhar dinheiro, que entendeu o chamado do planeta, que assimilou a importância de ter negócios que não exploram as pessoas, buscando minimizar os resíduos e fazendo o bem por meio de ações socioambientais.

Quanto mais priorizarmos consumir dessas empresas, mais rápido a transformação acontecerá. Subestimamos nosso poder de pressionar, de boicotar e de fazer as marcas mudarem condutas que não fazem mais sentido nos dias atuais. Só depende da gente. Tenho dois mantras na minha vida e um deles é “pequenos gestos, grande impacto”.

Você já curte marcas assim bacanérrimas? Quais são suas preferidas e por quê? Me conta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *