Dez dicas práticas para você começar a meditar

“Meditação não é pra mim. Sou muito acelerada”. Escuto isso direto, quando falo que sou praticante de meditação há oito anos. E acredito que meditação é para todo mundo, principalmente para quem vive com a cabeça a mil por hora.

“Para o Dalai Lama, se todas as crianças de 8 anos aprendessem a meditar, a violência seria eliminada do mundo num prazo de uma geração. Pesquisadores americanos também defendem que os mais modernos antidepressivos podem, em muitos casos, ser substituídos — ou pelo menos complementados — por esta que é uma das mais antigas práticas do budismo”, segundo reportagem do Globo.

Para mim, é uma jornada ao nosso mundo interior. Ao entendermos como “funcionamos” e acessando nossas qualidades e virtudes verdadeira (Eu Original), percebemos o que estamos sentindo e, se for necessário, transformamos em algo positivo. Se medito pouco ou, raramente, acordo e não medito, sei que terei um dia desafiante pela frente, pois não me preparei adequadamente para os imprevistos e as situações que não controlamos (praticamente todas!).

A socióloga e coordenadora nacional da Brahma Kumaris, escola de meditação e qualidade de vida da qual sou aluna, pratica meditação há quase 40 anos. Ela afirma que pensamos muitas coisas durante o dia e a impressão é de que não paramos nunca de pensar. Fazemos uma coisa já pensando em outra tarefa que temos de realizar depois, o que causa enorme cansaço. Como mudar?

“Pensar muito, experimentar confusão, ter dificuldade em discernir e de tomar decisão indicam uma mente fraca, sem controle, sem poder e sem equilíbrio. Significa que as rédeas dos órgãos dos sentidos físicos estão controlando o cocheiro. Tenho que conhecer como a mente funciona e inverter este processo, aprendendo a pensar e sentir positivamente, vendo o benefício em cada situação, criando pensamentos que deem força para a mente em vez de drená-la. Devo ser aquele que segura as rédeas e escolhe como pensar, sentir, o que ver, falar, ouvir….”, explica.

Pedi que ela desse dez dicas bem práticas para quem quer desacelerar a mente e começar a meditar. Se você continuar a ler esse artigo não terá mais desculpas para continuar sem incluir a meditação na sua vida. Siga em frente por sua própria conta e risco. Brincadeiras à parte, é como criar um novo hábito: requer empenho e motivação. E os benefícios não caberiam em um único artigo.

  • O que chamamos de “JUST a minute” (Só um minuto): a cada hora, você para por um minuto. Respira.

Foque no centro da testa (na altura do terceiro olho) e relembre que é um ser de luz, um ser de paz, um ser poderoso.

  • Controle do Tráfego dos pensamentos – Assim como temos o semáforo para colocar ordem no trânsito, em horários específicos do nosso dia, podemos dar uma paradinha e observar a mente e diminuir o fluxo e o ritmo dos pensamentos, criando pensamentos positivos e deixando que nossos sentimentos internos acompanhem. Por exemplo: às 8h, 10h30, 12h30, 15h, 17h30, 19h30 e 21h30.
  • Ouça palestras edificantes enquanto no carro, no transporte público. Ou mesmo músicas que inspirem calma e tranquilidade.
  • Faça cursos, leia livros, que ajudem a mudar nossas crenças internas de derrota e de que a natureza do ser humano é má, é violenta, e que desde que o mundo é mundo as coisas são assim. Temos que reverter isso e desenvolver autoestima e crenças positivas.
  • Tenha cuidado com as suas companhias. Pessoas negativas à nossa volta exigem mais esforço para mudarmos nosso padrão de comportamento.

Escolha, sempre que possível, ter amigos e estar na companhia de pessoas com bom astral, que vejam virtudes em vez de defeitos, e falem menos e mais significativamente, em vez de pessoas que só criticam e fofocam.

  • Selecione o que você come. Nosso alimento influencia nossa mente, nossos humores, nossa relação com os outros reinos. Alimentos de origem vegetal e que não são fruto da violência criam um estado mais saudável no corpo e na mente.
  • Discipline-se para meditar pelo menos duas vezes ao dia: de manhã, antes de iniciar a rotina do dia, para criar força e alinhamento interno, e à noite, antes de dormir, para fazer uma avaliação e limpeza interior são excelentes práticas. O tempo depende da disponibilidade de cada um. Mesmo dez minutos já são de grande ajuda.
  • Pratique ser um karma yogue: estar conectado com sua natureza espiritual e com o ser divino (yogue) enquanto fazendo as ações (karma).

Isso traz maior concentração, maior produtividade, maior autoconfiança e melhora a relação com o ambiente à nossa volta. Posso fazer isso no escritório, ao cozinhar, ao caminhar, ao falar ao telefone, ao desempenhar praticamente todas as minhas ações.

  • Notas de inspiração: mantenha uma caderneta com você e sempre que ouvir ou vir algo inspirador, ou quando lhe ocorrer uma boa ideia, anote. No final do dia, releia as suas notas. Com isso, você criará o hábito de colecionar o BEM dentro de você. Vai também perceber como sua visão e atitude mental começam a ficar mais focadas naquilo que faz bem.
  • Com a experiência dos benefícios da meditação e o prazer que você começa a sentir com o silêncio interior, aumente o tempo da sua prática para meia hora de manhã e meia hora à noite. Você pode acordar mais cedo ou começar a praticar nos finais de semana ou dia de folga.

Compartilhe com seus parentes e amigos, e convide-os também a experimentar. Quanto mais doamos benefício aos outros, mais felizes ficamos e nossa autoestima aumenta.

Você já medita ou quer começar a meditar? Conta para mim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *